Nutrição Saudável & Redução do Risco de Câncer

A Sociedade Americana de Câncer (ACS) publicou diretrizes para Atividade Física e Nutrição, produzidas por um painel de experts em diversas áreas, a partir da evidência científica relacionada aos padrões de dieta e atividade e o risco de câncer. [1]

Nas últimas décadas, tem sido feito um esforço importante para a investigação da relação dos padrões de dieta e comportamentos com o risco de câncer.

Perigo das carnes vermelhas e/ou processadas

Assim, estudos indicam que indivíduos que comem mais carnes vermelhas e/ou processadas, batatas, carboidratos e grãos refinados, além de comidas e bebidas adoçadas com açúcar, têm maior risco de desenvolverem adenoma colorretal ou de morrerem por câncer, enquanto que uma dieta rica em frutas, vegetais, produtos integrais, peixe e frango e pobre em carnes vermelhas e produtos processados estaria associada à uma redução desse risco.[2,3]

A evidência atual indica uma aumento do risco de 17 a 18%% para o câncer colorretal por 100 gramas de carne vermelha (RR for 100 g/day increase  = 1.17, 95% CI  = 1.05−1.31)ou 50g de carne processada (RR for 50 g/day increase  = 1.18, 95% CI  = 1.10−1.28). Resultados similares foram obtidos para o câncer de reto, sem diferenças significativas[4].  A evidência para outros tipos de câncer (esôfago, estômago, pulmão, pâncreas, mama, próstata, estômago, endométrio, rim e ovário) é limitada, mas sugestiva dos mesmos resultados.[5]

A carne contém vários componentes que aumentam o risco de câncer, são substâncias mutagênicas e carcinogênicas, geradas a partir do cozimento da carne a altas temperaturas e/ou nas grelhas de carvão ou churrasco. Nitratos e nitritos e o sal usado para processor as carnes pode contribuir para a formação de nitrosaminas, conhecidos mutagênicos e carcinogênicos em animais. O Ferro do grupo heme da mioglobina da carne vermelha atua como um catalisador na formação de nitrosaminas, podendo gerar radicais livres que podem danificar o DNA[6].  Também é possível que o conteúdo de gordura em carnes contribua para o aumento do risco de câncer por aumentar a concentração de ácidos biliares e outros compostos carcinogênicos (nitrosaminas e aminas heterocíclicas)[7].

Autores reportam associações positivas entre as substâncias derivadas ou usadas no processamento das carnes: 2-amino-3,4,8-trimetilimidazol [4,5-f]quinoxalina (DiMeIQx) e câncer colorretal, de colo distal e tumores de reto; 2-amino-3,8-dimetilimidazol[4,5-f]quinoxaline (MeIQx) e câncer colorretal e de colo; nitritos/nitratos e câncer de colo proximal; 2-amino-1-metil-6-fenilimidazol[4,5-b]piridina (PhIP) e câncer retal; e benzo[a]pireno e câncer de reto (P < 0,05). Já considerando a análise de acordo com o tipo de carne, método e intensidade de cozimento, foram observadas associações positivas entre a carne vermelha processada e câncer de colo, e da carne vermelha frita com o câncer colorretal (p<0,05)[8].

Benefícios da dieta rica em legumes, hortaliças e frutas

Pesquisas estão sendo desenvolvidas no Mundo buscando avaliar as potenciais propriedades preventivas do câncer de vegetais e frutas, especialmente aqueles de cor verde escura e  laranja (por exemplo, repolho, brócolis, couve-flor, couve de Bruxelas, etc), produtos à base de soja, legumes, alho e cebola, e produtos à base de tomates.

Segundo a Sociedade Americana de Câncer (ACS), produtos à base de grãos e integrais têm menor conteúdo calórico que os processados (refinados), mantendo o equilíbrio de energia no organismo. Além disso, os produtos à base de grãos integrais são mais ricos em fibras, certas vitaminas, e minerais que os produtos refinados.[1]

RECOMENDAÇÕES DA SOCIEDADE AMÉRICA DE CÂNCER PARA UMA VIDA SAUDÁVEL – NUTRIÇÃO
Tenha uma dieta saudável, com ênfase no uso de vegetais (frutas, legumes e hortaliças).
Selecione alimentos e bebidas em quantidades que ajudem a manter um peso saudável.
Leia os rótulos dos alimentos para se certificar do tamanho das porções e da quantidade de calorias consumidas.
Certifique-se de que “baixa gordura” ou “gordura zero” não significa “baixa caloria”.
Coma pequenas porções de alimentos altamente calóricos.
Prefira vegetais, frutas inteiras e outros alimentos de baixa caloria, no lugar de produtos calóricos como batatas fritas e outros chips, sorvete e outros doces.
Limite o consumo de bebidas adoçadas com açúcar, como sucos de frutas processados,  refrigerantes e outros.
Limite o consumo de carne processada e vermelha.
Minimize o consumo de carnes processadas como bacon, salsicha, presunto, carnes  de sanduíches e cachorro quente.
Alimente-se de peixe, frango, ou feijões como alternativa à carne vermelha (bovina, porco, carneiro, etc)
Se comer carne vermelha, selecione cortes sem gordura e porções menores.
Prepare a carne, o frango e o peixe na grelha, forno ou cozido ao invés de frito ou na forma de churrasco.
Coma pelo menos  2½ xícaras de vegetais ou frutas todos os dias.
Inclua vegetais e frutas em todas as refeições e lanches.
Coma uma variedade de vegetais e frutas todos os dias.
Prefira vegetais e frutas inteiros.
Escolha um suco de frutas ou vegetais 100% natural.
Limite o consumo de molhos cremosos e de saladas.

Referências
1. American Cancer Society guidelines on nutrition and physical activity for cancer prevention.Reducing the risk of cancer with healthy food choices and physical activity. Lawrence H. Kushi ScD, Colleen Doyle MS, RD,*, Marji McCullough ScD, RD, et al. Cancer Journal for Clinicians, Volume 62, Issue 1, pages 30–67, January/February 2012.
2. Dietary patterns and colorectal adenoma and cancer risk: a review of the epidemiological evidence.
Miller PE, Lesko SM, Muscat JE, Lazarus P, Hartman TJ. Nutr Cancer. 2010;62(4):413-24.
3. van Dam RM, Li T, Spiegelman D, Franco OH, Hu FB. Combined impact of lifestyle factors on mortality: prospective cohort study in US women. BMJ. 2008;337:a1440.
4. Chan DS, Lau R, Aune D, et al. Red and processed meat and colorectal cancer incidence: meta-analysis of prospective studies. PLoS One. 2011;6:e20456.
5. American Cancer Society guidelines on nutrition and physical activity for cancer prevention. Reducing the risk of cancer with healthy food choices and physical activity. Lawrence H. Kushi ScD, Colleen Doyle MS, RD,*, Marji McCullough ScD, RD, et al. Cancer Journal for Clinicians, Volume 62, Issue 1, pages 30–67, January/February 2012.
6. Bastide NM, Pierre FH, Corpet DE. Heme iron from meat and risk of colorectal cancer: a meta-analysis and a review of the mechanisms involved. Cancer Prev Res (Phila). 2011;4:177-184.
7. American Cancer Society guidelines on nutrition and physical activity for cancer prevention.Reducing the risk of cancer with healthy food choices and physical activity. Lawrence H. Kushi ScD, Colleen Doyle MS, RD,*, Marji McCullough ScD, RD, et al. Cancer Journal for Clinicians, Volume 62, Issue 1, pages 30–67, January/February 2012.
8. Meat-Related Compounds and Colorectal Cancer Risk by Anatomical Subsite Paige E. Miller et al. Nutr Cancer. 2013 February ; 65(2): 202–226.

Direitos Autorais: Instituto Brasileiro de Medicina e Saúde Integrativa em Oncologia – ISIONCO
www.isionco.com.br